Diocese de Jales

|
Artigos › 03/10/2020

TEMPO DE AFLIÇÕES, ORAÇÕES E ELEIÇÕES

Ouça e compartilhe!

Este tempo é muito significativo para o povo brasileiro. Vivemos aflições, mas nos movemos com orações, tendo pela frente eleições. Neste outubro, nossas novenas, terços e missas se associam as festividades de Nossa Senhora Aparecida, sinônimo de fé. Desde março deste ano, muitas comemorações do nosso calendário já foram alteradas. Vivenciamos a espiritualidade da Semana Santa direto de nossas casas. Pais e mães foram homenageados à distância. Online, vivemos momentos que marcam nossa história.

Já se passaram 303 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora, pelos três pescadores que, angustiados, sem nada pescar, testemunharam o primeiro milagre, uma pesca farta e o início da maior expressão de fé de nosso povo. A escravidão e a monarquia eram traços marcantes deste país, que ainda buscava sua identidade política, civil e de fé.

“Aparecida conquistou o Brasil antes mesmo de existir em nosso país um hino (1822) ou uma bandeira nacional (1889). A santinha, encontrada por três pescadores no Rio Paraíba do Sul em 1717, foi o primeiro símbolo realmente brasileiro e de alcance nacional”, afirma o jornalista Rodrigo Alvarez. Atualmente, o maior Santuário Mariano do mundo, com celebrações exclusivamente transmitidas pelos meios de comunicação por causa da pandemia, ensaia um retorno aos visitantes, com medidas de proteção.

Um dos locais que mais chama a atenção do público no Santuário é a sala dos milagres e promessas. Em breve, encontraremos neste local, máscaras e jalecos, símbolos de nossos profissionais da saúde, que se dedicam à luta pela preservação da vida, bem como fotos de famílias com histórias de superação deste momento doloroso.

A pandemia do Coronavírus se estende e deixa um rastro de tristeza nas famílias que perdem seus entes queridos. A contaminação segue com força para fazer novas vítimas, inclusive nas pequenas cidades, preocupando as autoridades de saúde. Enquanto aguardamos a superação das irresponsabilidades que dão força ao vírus, o mundo vive a expectativa de uma vacinação em massa, em busca de segurança e estabilidade.

O povo confia à sua padroeira essa e muitas outras aflições, tais como as queimadas históricas destruindo nossos biomas, a taxa de desemprego no Brasil que atingiu um recorde de 13,8% no trimestre de julho, com mais de 13 milhões de desempregados, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em três meses, foram encerrados mais de sete milhões de postos de trabalho.

Neste cenário, o Brasil deu a largada para às eleições municipais. Serão mais de 500 mil pessoas concorrendo para o exercício de uma função pública.  Os eleitores que irão comparecer às urnas devem estar atentos às aflições de nosso tempo, entendendo os principais desafios de cada município. Somente com consciência cidadã e participação ativa poderemos eleger pessoas capacitadas para administrarem o bem público com responsabilidade.

O Brasil que poderá sair das urnas renovado, começa em cada pessoa e em cada família que acende neste mês uma vela de esperança, confiando na proteção da padroeira: “Nossa Senhora me dê a mão, cuida do meu coração, da minha vida, do meu destino, do meu caminho, cuida de mim”. Portanto, que não falte aos eleitores neste mesmo compromisso para fazer as mudanças que nosso país necessita.

Vitor Inácio Fernandes da Silva, Assessor de Comunicação da Diocese de Jales e

Jornalista das Rádios Assunção e Regional FM

Tags:

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.