SALVAR A HUMANIDADE DE SUA DESUMANIDADE

Os graves problemas que afetam o mundo todo, atualmente, tratados uma vez mais pelo Papa Francisco na perspectiva da ecologia integral, em sua recente Exortação Apostólica Laudate Deum, sobre a crise climática, nos interpelam a reorientar os rumos da humanidade. A trágica realidade mundial, com ênfase, agora, nas questões ambientais, nos responsabiliza todos, sabendo, conforme afirma o Papa nessa Exortação Apostólica, que “as soluções mais eficazes não virão só dos esforços individuais, mas sobretudo das grandes decisões da política nacional e internacional”.

A 28ª Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, chamada COP 28, que se realiza de 30 de novembro a 12 de dezembro deste ano, em Dubai, Emirados Árabes Unidos, tem, portanto, a imensa responsabilidade de garantir compromissos autênticos, sobretudo das nações economicamente mais poderosas, para se reverter o aquecimento global, a destruição de ecossistemas e outras catástrofes climáticas que estão afetando a humanidade toda, sobretudo as populações mais pobres e vulneráveis. Urgem-se ações, realmente eficazes, de impactos globais.

As grandes transformações no conjunto da sociedade mundial começam, porém, com mudanças de mentalidade e atitudes pessoais de todos os humanos. Por isso, o Papa convida-nos a viver autenticamente a fé cristã, transfigurando-nos e iluminando nossa vida social e nossos laços com toda a criação. Necessitamos, pois, renascer com Cristo, tornando-nos novas criaturas (cf. 2Cor 5,17). Ele é luz do mundo. Quem o segue não caminha nas trevas, mas tem a luz da vida (cf. Jo 8,12). Quem nele crê se torna também luz do mundo por suas obras (cf. Mt 5,14-16).

Em Jesus, Deus se fez humano para salvar a humanidade de sua desumanidade, para salvá-la, enfim, de sua autodestruição. Preparemo-nos, portanto, para celebrar o Natal de Jesus Cristo, reavivando nossa fé e traduzindo-a em atitudes e ações humanizadoras e defensoras da vida na sua integralidade, que testemunhem a luz de Cristo. O Natal é esse encontro luminoso com Cristo pelo qual a vida se recria. Abramos largamente nossos corações para acolhê-lo com amorosidade. É esse o sentido do Advento que a Igreja vive e propõe neste tempo de luzes natalinas.

Preparemos, então, o Natal por meio da oração dedicada a nossos familiares, nossos amigos e amigas, nossos vizinhos e vizinhas, as pessoas com quem convivemos no trabalho e no estudo, aquelas com quem nos encontramos dia-a-dia, as pessoas com quem nos entendemos bem e as pessoas com quem temos dificuldades e nos desentendemos. Que todas sejam abençoadas! Que nosso mundo, enfim, receba como presente neste tempo, a firme decisão de todos os líderes das nações de acabar com as guerras e com tudo que destrói a vida dos humanos e toda a criação.

Dom Reginaldo Andrietta

Bispo Diocesano de Jales

Últimos Posts