NÓS QUEREMOS PAZ!

O mundo todo foi surpreendido com o reacendimento de um conflito armado e o novo capítulo na história de tensão entre Israel e Palestina, que há mais de 70 anos vivem em disputas que envolvem questões ligadas à geopolítica, terras e religião. No sábado, 7 de outubro 2023, um ataque realizado pelo grupo palestino Hamas contra Israel deixou milhares de mortos e vai deixar marcas na história mundial.

Durante entrevista, o embaixador da Palestina no Brasil, Ibrahim Alzeben, afirmou que o conflito é mais um capítulo de uma guerra que começou em 1948, entre Israel e Palestina. Historicamente as hostilidades tiveram início com o pós-guerra e o fluxo migratório de judeus que contribuiu para a alteração da composição demográfica da região, gerando os atritos.

Durante a audiência geral de quarta-feira, 11 de outubro, o Papa Francisco manifestou-se “Aqueles que estão sendo atacados têm o direito de se defender, mas estou muito preocupado com o cerco total sob o qual os palestinos vivem em Gaza, onde também houve muitas vítimas inocentes. O terrorismo e o extremismo não ajudam a chegar a uma solução para o conflito entre israelenses e palestinos, mas alimentam o ódio, a violência e a vingança e só fazem com que os outros sofram”, exortou Francisco. “O Oriente Médio não precisa de guerra, mas de paz, uma paz construída sobre a justiça, o diálogo e a coragem da fraternidade”, exortou o Papa.

Ao redor do planeta atualmente existem vários conflitos em andamento, com cinco principais. São guerras que envolvem Estados, guerras civis e facções. No mês de setembro, foi noticiada a ofensiva do Exército do Azerbaijão em Nagorno-Karabakh, derrotando combatentes de etnia armênia, em um conflito desde 2020. No ano de 2022, após uma escalda de tensão, iniciou-se a guerra entre Rússia e Ucrânia, que continua longe de um desfecho. Ainda são relacionadas guerras na Síria e no Iêmen.

Muitos outros confrontos existem em diversos países pelo mundo, causando instabilidades políticas. No Brasil, assim como em outras nações, existe a guerra contra a criminalidade e as drogas, que constantemente geram conflitos e vidas são perdidas, com muitos exemplos bárbaros de crimes que chocam a nossa sociedade. O poder público deve atuar constantemente também aqui para medidas que possam restabelecer a paz.

Faz-se necessário que haja um engajamento maior de todos os países para a consolidação da paz. A paz que seja plena aos seus cidadãos, que tenham direitos civis respeitados, com qualidade de vida em todas as suas formas assegurada. Que as articulações mundiais possam trilhar caminhos que possam levar ao fim destes conflitos.

Na canção, Nós Queremos Paz, a cantora Joana nos faz refletir, “Nossos dias quando estão assim difíceis. Não estamos sós, tem alguém por nós. Vejo cenas que jamais pensei que visse. Vidas que se vão, inocentes vão! Peço agora, paz! Esse grito eu não vou calar. Como não calo uma oração. Paz! Nós queremos paz!”.

Vitor Inácio Fernandes da Silva

Assessor de Comunicação da Diocese de Jales e

 Jornalista das Rádios Assunção e Regional FM

Últimos Posts