Diocese de Jales

Comissão Diocesana de Engenharia,  Arquitetura e Arte Sacra

Comissão Diocesana de Engenharia, Arquitetura e Arte Sacra

Assessor Diocesano: Pe. Geraldo Trindade Furlaneto

e-mail: artesacra@diocesedejales.org.br

Compete às Comissões Diocesanas de Arte Sacra (espaço litúrgico) e ou Bens Culturais, “examinar os planos e projetos de construção de novas igrejas ou lugares de culto”, além de “promover o gosto e o sentido artístico do clero e do povo de Deus por meio de cursos, conferências e diretivas diocesanas, como também exposições, encontros e simpósios”. (CNBB – Documento-base sobre a Arte Sacra, n. 2).

Em nossa diocese achamos melhor essa equipe ser chamada de: Comissão Diocesana de Engenharia, Arquitetura e Arte Sacra. (CODEARAS)

 

Objetivos:

– Auxiliar as comunidades na análise dos projetos de construção, reforma, restauração, ampliação, adequação e adaptação externa ou interna das igrejas e seus anexos, de acordo com as normas técnicas da ABNT, analisando todos os projetos de construção e reforma, a fim de garantir unidade e fidelidade às normas requeridas pela própria igreja para seus espaços.

– Esses projetos devem ser elaborados por profissionais habilitados, preferencialmente com formação na área de concepção do espaço litúrgico.

 

Áreas de atuação:

– Construção e restauração de igrejas;

– Serviço de apoio consultivo para as paróquias que irão passar por reformas.

– Catalogação de todos os bens culturais que se têm por toda a diocese;

– Ajudar na preservação do patrimônio arquitetônico;

– Ajudar na organização do museu diocesano, para a preservação da memória histórica;

– Restauração de imagens sacras;

 

Metas:

– Criar uma consciência em toda diocese sobre a importância da arquitetura e da arte no seu papel evangelizador.

– Manter um local permanente onde todos os que querem construir ou reformar possam se direcionar para ter informações ou acompanhamento.

– Levantamento técnico das edificações existentes em toda a diocese, com fotos e projetos.

 

Propostas:

– Convidar mais profissionais na área de arquitetura, engenharia e arte para reforçar a equipe diocesana.

– Sejam convidadas pessoas ligadas à área da arte, de arquitetura, da engenharia civil, construtores, e que tenham algum conhecimento da liturgia da Igreja e participem na vida da comunidade. Será importante haver ao menos um membro representando cada setor da diocese.

– Catalogar todas as igrejas existentes em nossa diocese. Com fotos, dados das origens da comunidade e da construção.

– Analisar a situação de cada edificação de igrejas e seus anexos.

– Ter um encontro anual de formação a nível diocesano. Convidar assessores para dar esta formação.

– A comissão diocesana necessita ainda de um apoio jurídico em várias ocasiões. Sugerimos que se tenha uma equipe paralela de advogados para dar esse apoio.

– Ter uma secretaria na diocese para acolher todos os projetos que chegam. Nesta secretaria seriam guardados todos os projetos das igrejas da diocese.

– Sugerimos que no museu diocesano tenha um(a) secretário(a) que assim possa atender os projetos e o museu. Abrir no horário comercial.

 

Apresentação de projetos para avaliação e aprovação da Comissão.

 

– O projeto deverá ser apresentado no formato digital por e-mail em Auto Cad (dwg e pdf) e em cópia de papel em formato adequado ao tamanho do projeto.

– O projeto deverá estar de acordo com as normas técnicas (ABNT), normas do município e do estado.

 

– No projeto as seguintes informações são imprescindíveis:

– Nome completo, especialidade e registro do profissional no CAU e ou CREA.

– O projeto quando possível deverá ser apresentado à Comissão pelo autor em data e hora a ser estabelecida pela comissão.

– Medidas plani-altimétricas do terreno, da construção e ou ampliação dentro da quadra e ou praça.

– O projeto deverá apresentar no mínimo uma planta baixa, dois cortes (longitudinal e transversal), duas fachadas e planta de cobertura.

– Medidas internas e externas da construção, espessuras de paredes, medidas de portas e janelas.

– Indicação de rotas de fuga, indicação de estocagem e armazenamento de itens inflamáveis.

– Inclinação de rampas de acessibilidade, escadas de acesso, indicação de abertura das portas.

– Em se tratando de salão de festas informar o dimensionamento máximo de pessoas consideradas.

 

Orçamento:

– Para os encontros a nível diocesano precisamos convidar assessores de outros lugares. E isso requer um custo de viagem e assessoria. Achamos por bem estabelecer um valor de R$1.000,00 (mil Reais)

– Existem cursos promovidos pela CNBB ao longo do ano. Para que valorizemos os membros da equipe a diocese poderia patrocinar uma parte dos gastos de viagens e hotéis e mesmo com o custo destes encontros. Quem for representando a diocese também poderá ajudar nos custos. Analisando os custos, achamos por bem pedir uma ajuda da diocese no valor de mais R$1.000,00 (mil Reais)

– Para ter um(a) secretário(a) que atenda a entrega dos projetos e cuidado do museu, sugerimos contratar uma pessoa, que pode até ser um estagiário de arquitetura ou engenharia, e combinar um salário fixo (valor a definir)

 

Datas para 2019:

– 23 de fevereiro – reunião na Cúria Diocesana

– 23 de março – reunião na Escola Vocacional

– 27 de abril – reunião na Cúria Diocesana

– 25 de maio – reunião na Escola Vocacional

– 27 de julho – reunião na Cúria Diocesana

– 24 de agosto – reunião na Escola Vocacional

– 26 de outubro – reunião na Escola Vocacional

– 23 de novembro – reunião na Cúria Diocesana

Obs: Todas as reuniões serão às 14h

 

– 15 de setembro – Encontro diocesano de Arquitetura e Arte Sacra na Escola Vocacional. Horário das 8h às 16h