Diocese de Jales

|

Histórico do Seminário Diocesano Nossa Senhora da Assunção

A Diocese de Jales, criada no dia 12 de dezembro de 1959, pelo Papa João XXIII, teve sua instalação no dia 20 de agosto de 1960, dia de Nossa Senhora da Assunção, padroeira da Diocese de Jales e do Nosso Seminário Diocesano.

Nossa diocese enfrentou grandes desafios na época de sua criação, exatamente pelo pequeno número de presbíteros.

Na década de 1970, começaram a surgir vocações em nossa diocese, mas não tínhamos Seminário. A partir de 1975 a Arquidiocese de Ribeirão Preto, inicia em conjunto com os bispos, um Projeto Provincial, talvez o primeiro Projeto Comum, e por volta de 1976 a 1978, a Província organiza um Seminário Maior. Os estudos eram realizados juntamente com os seminaristas da Arquidiocese de Ribeirão Preto, (CEARP- Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto) fundado em 1967, iniciando seu primeiro ano letivo em 1968, com o 1º ano de Filosofia. Até então os estudos eram realizados em São Paulo, no Seminário Central do Ipiranga. Já os estudos teológicos iniciaram-se em 1974/75.

A motivação na época era que todas as dioceses mantivessem sua “Casa de Formação” assim como Jales em 1985, iniciaram-se as Dioceses de Barretos, Jaboticabal, Franca.

Por 11 anos, (1985-1996) tivemos nossa “Casa de Formação”, na cidade de Ribeirão Preto. O prédio foi cedido em regime de comodato, por oito anos, pela entidade proprietária a ARAE (Associação de Assistência ao Reeducando e Amparo ao Egresso), uma organização dedicada a Pastoral Carcerária, com a participação conveniente e possível dos seminaristas.

No início, a Casa de Formação, contava com 07 seminaristas. Estes, sempre exerceram seus trabalhos pastorais no bairro onde moravam, o Parque Ribeirão Preto. Lugar de missão e de grandes desafios pastorais na época. O ponto de referência, era o “Cadeião”, nossa casa ficava a uma quadra de um dos presídios de Ribeirão Preto, hoje Cadeia Feminina. Com esta Casa de Formação a Diocese passa a assumir melhor a formação dos seus futuros presbíteros. Tendo uma identificação maior e melhor referência na formação.

A equipe de formadores era composta por um Reitor, um Orientador Espiritual e o Coordenador da Pastoral Vocacional, que se organizam para as visitas mensais. Essa equipe ajudava no entrosamento maior dos seminaristas com a Diocese.

Padre Valentin Steffanoni

Padre Antonio de Jesus Sardinha

O fato do Reitor não residir na casa é assumido conscientemente tanto pela Diocese como pelos seminaristas, significando, da parte da Diocese um gesto de confiança, e da parte dos seminaristas, um compromisso de responsabilidade.

A ligação com a Diocese se dava pela presença dos seminaristas em diversos momentos ao longo do ano, como nas reuniões do Clero (Julho, Dezembro, fevereiro, Semana Santa), nas Assembleias Diocesanas, Cursos e Encontros Diocesanos, na Romaria, Escola de Animadores, Semanas Vocacionais, estágio pastorais e presença nas paróquias em tempos maiores de férias.

Em 1990 o CEARP fecha o seu curso de filosofia e os seminaristas começam a estudar em Batatais, Faculdades Claretianas. Em 1994, inicia-se o curso de filosofia no Seminário de Brodowski, assim como o curso de Teologia tão logo viesse a ser iniciado em Brodowski.

Depois de muita reflexão, achamos por bem, fechar a Casa de Formação e todos os seminaristas da Diocese de Jales, foram residir no Seminário Maior Maria Imaculada da Arquidiocese de Ribeirão Preto, na cidade de Brodowski, isto ocorreu no de 1997. Nos finais de semana os seminaristas realizavam o estágio pastoral nas paróquias da Arquidiocese. Vindo para Diocese de Jales, apenas nos meses de férias (julho, dezembro e janeiro), Semana Santa e demais momentos diocesanos onde os mesmos eram convidados a participarem, como já, mencionado acima.

Porém, foi se notando que o fato de estar numa realidade pastoral bem diferente da realidade diocesana, e pelo fato de valorizarmos a Sub-Região RP2, a diocese de Jales no ano de 1998, deixa de residir em Brodowski e passa a residir no Seminário Sagrado Coração de Jesus, da diocese de São José do Rio Preto, e os estudos passam a ser realizados no ARCE: (Associação Rio-Pretense Católica de Ensino).

Depois desta experiência em conjunto, chegamos a conclusão que o melhor seria voltar a ter nossa “Casa de Formação”, para cultivar a diocesaneidade, mantendo nossa identidade, onde cada diocese deveria ter seu próprio seminário. Por não ter um prédio próprio, alugamos uma casa na cidade de São José de Rio Preto.

Isso aconteceu no ano de 2002. E os estudos continuaram sendo realizados no ARCE com todas as dioceses e Comunidades Religiosas do RP2. Neste período, estudavam as dioceses de Barretos, Jales e São José do Rio Preto, Custódia Franciscana do Sagrado Coração de Jesus de Olímpia, Comunidade Mar a Dentro, Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus, e a diocese de Ituiutaba-MG. Posteriormente foram criadas as dioceses de Catanduva, no ano 2000 e Votuporanga no ano de 2016, desmembrando do território da diocese de São José do Rio Preto.

Passados aproximadamente 10 anos, tivemos a grata satisfação de receber ajuda de doações vindas da Itália, por intermédio do padre Giuliano Vittório Todesco, e conseguimos comprar a casa onde morávamos na Rua Stellio Machado Loureiro.

Padre José Aparecido Ferro Martinez: 2002-2008;

Padre Claudemir Ortunho: 2009-2010;

Padre Valdair Aparecido Rodrigues: 2011-2015.

Padre Miguel Donizete Garcia: 2016

Padre Donizétti Aparecido dos Santos; 2003 -2017;

Padre Antonio de Jesus Sardinha: 2018

Um dos eixos assumidos em Assembleia Diocesana, foi a formação. E para manter essa prioridade, especialmente na formação inicial de nossos presbíteros de nossa diocese, em 2017, tivemos a grande oportunidade de adquirir uma chácara também na cidade de São José do Rio Preto, para sediar o nosso Seminário Diocesano, com a aprovação do Conselho de Consultores, Conselho Presbiteral e todo Clero da Diocese de Jales. Este novo Seminário, de fato é um lugar propício para os estudos, oração, convivência, com melhores acomodações para todos.

No Seminário Diocesano, moram os estudantes de Filosofia e os estudantes de Teologia. Para tal aquisição foi realizado o primeiro Ano Vocacional Diocesano. Era o início do Episcopado de Dom José Reginaldo Andrietta. E com a campanha realizada em toda a diocese, através de carnês, todos os diocesanos tiveram a oportunidade de colaborar para a compra deste prédio. Destacando o compromisso de todos os presbíteros e principalmente das paróquias, que muito contribuíram para que conseguíssemos o valor para quitar em um ano o valor do imóvel que seria sede do nosso Seminário Diocesano Nossa Senhora da Assunção.

Desde 2017, iniciamos na Diocese de Jales, o Período Propedêutico.

O Propedêutico é uma experiência inicial na formação para aqueles jovens que buscam responder ao chamado de Deus. Desde o Concílio Vaticano II a Igreja vem elaborando documentos e subsídios para a formação de seus ministros ordenados. No decreto “Optatam Totius” sobre a Formação Sacerdotal, do referido Concílio, já está proposto e pedido este ano introdutório, embora não use o termo propedêutico. Lemos no número 13 desse Decreto: “Antes de iniciarem os estudos propriamente eclesiásticos, recebam os seminaristas aquela formação humana e científica que permita aos jovens de seu país respectivo ingressar nos estudos superiores”.

Em 2010, a CNBB publica as Diretrizes para a Formação dos Presbíteros da Igreja no Brasil. A meta é imprimir unidade ao processo formativo inicial dos futuros presbíteros, levando em conta a diversidade cultural. Dessa maneira, cada Diocese procura atualizar, dentro de suas realidades, aquilo que se pede.

Seguindo as orientações da Nova Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis, Documento s da Igreja – 32 Congregação para o Clero – (O Dom da Vocação Presbiteral). O Propedêutico na Diocese de Jales tem a duração de no mínimo um ano, podendo ter a duração de dois anos. Os encontros são realizados na Escola Vocacional, no Seminário ou na Paróquia dos respectivos responsáveis por cada momento de estudos ao longo do ano, sempre com acompanhamento do Bispo Diocesano, Reitor e demais membros da equipe de Formação.

Antes de ingressar no Seminário Diocesano Nossa Senhora da Assunção, todo vocacionado deverá fazer a experiência do Propedêutico, com encontros mensais, quinzenais ou semanais, de acordo com a realidade e andamento dos estudos.

Entre os elementos constitutivos do Período Propedêutico, destacam-se: a Dimensão Humano-Afetiva, a Dimensão Comunitária, a Dimensão Espiritual, a Dimensão Intelectual e a Dimensão Pastoral-Missionária; assim elencados pelas Diretrizes. Essas cinco dimensões da formação são justamente para um amadurecimento e uma preparação segura, para dar início aos estudos filosóficos e teológicos, embora tais dimensões acompanhem todo o período formativo e também façam parte da formação permanente dos Presbíteros.

Portanto o Período Propedêutico, trata-se de um tempo de preparação humana, cristã, intelectual e espiritual. Essa preparação se encontra bem articulada nas cinco dimensões formativas. Tendo em vista a formação de Presbíteros autênticos, homens da Palavra e da Eucaristia.