Liturgia Diária – 2018-03-08 07:56:18

0

3ª SEMANA DA QUARESMA

(roxo – ofício do dia)

O Senhor é nosso Deus e nós somos seu povo. Ele enviou seu Filho ao mundo para libertar-nos do poder opressor. Agradecidos por tão grande dom, deixemo-nos conduzir por sua mão.

Primeira Leitura: Jeremias 7,23-28

Leitura do livro do profeta Jeremias – Assim fala o Senhor: 23“Dei esta ordem ao povo, dizendo: Ouvi a minha voz, assim serei o vosso Deus e vós sereis o meu povo; e segui adiante por todo o caminho que eu vos indicar para serdes felizes. 24Mas eles não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, seguindo as más inclinações do coração, andaram para trás e não para a frente, 25desde o dia em que seus pais saíram do Egito até o dia de hoje. A todos enviei meus servos, os profetas, e enviei-os cada dia, começando bem cedo; 26mas não ouviram e não prestaram atenção, ao contrário: obstinaram-se no erro, procedendo ainda pior que seus pais. 27Se falares todas essas coisas, eles não te escutarão e, se os chamares, não te darão resposta. 28Dirás, então: ‘Esta é a nação que não escutou a voz do Senhor, seu Deus, e não aceitou correção. Sua fé morreu, foi arrancada de sua boca’”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 94(95)

Oxalá ouvísseis hoje a voz do Senhor: / Não fecheis os vossos corações.

  1. Vinde, exultemos de alegria no Senhor, / aclamemos o rochedo que nos salva! / Ao seu encontro caminhemos com louvores, / e com cantos de alegria o celebremos! – R.
  2. Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra, / e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! / Porque ele é o nosso Deus, nosso pastor, † e nós somos o seu povo e seu rebanho, / as ovelhas que conduz com sua mão. – R.
  3. Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: / “Não fecheis os corações como em Meriba, / como em Massa, no deserto, aquele dia † em que outrora vossos pais me provocaram, / apesar de terem visto as minhas obras”. – R.

Evangelho: Lucas 11,14-23

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas – Naquele tempo, 14Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começou a falar e as multidões ficaram admiradas. 15Mas alguns disseram: “É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa os demônios”. 16Outros, para tentar Jesus, pediam-lhe um sinal do céu. 17Mas, conhecendo seus pensamentos, Jesus disse-lhes: “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra. 18Ora, se até satanás está dividido contra si mesmo, como poderá sobreviver o seu reino? Vós dizeis que é por Belzebu que eu expulso os demônios. 19Se é por meio de Belzebu que eu expulso demônios, vossos filhos os expulsam por meio de quem? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. 20Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o reino de Deus. 21Quando um homem forte e bem armado guarda a própria casa, seus bens estão seguros. 22Mas, quando chega um homem mais forte do que ele, vence-o, arranca-lhe a armadura na qual ele confiava e reparte o que roubou. 23Quem não está comigo está contra mim. E quem não recolhe comigo dispersa”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Ao libertar um homem de sua mudez, Jesus provoca dois tipos de reação. A primeira é que “as multidões se admiraram”. A segunda reação é a de alguns que acusam Jesus de expulsar demônios por influência do chefe dos demônios. Tentam desacreditar a obra de Jesus, como se ele fizesse parte do mundo dos demônios. Nada mais contraditório e ofensivo. Quando se trata de mostrar a autenticidade de sua missão, Jesus não dá espaço a dúvidas ou falsas interpretações. Responde dizendo que é contrassenso expulsar demônios pelo poder do chefe deles. O que Jesus realiza é pelo “dedo de Deus”, o Espírito Santo. Depois pede que se faça a escolha certa: a pessoa, ou se coloca do lado de Jesus e do Reino de Deus, ou fica do lado do demônio, no reino da injustiça.

(Dia a dia com o Evangelho 2018 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.