Liturgia Diária – 2017-12-04 20:52:40

0

1º DO ADVENTO

(roxo – 1ª semana do saltério)

Iniciamos a caminhada em preparação para o Natal dispostos a nos deixarmos moldar por Deus como barro nas mãos do oleiro. A liturgia nos faz forte apelo à vigilância, convidando-nos a estar acordados e atentos, pois o Senhor vem nos visitar. Abramos mente e coração para acolher a graça e a paz que vêm da parte de Deus.

Primeira Leitura: Isaías 63,16-17.19; 64,2-7

Leitura do livro do profeta Isaías – 16Senhor, tu és nosso pai, nosso redentor; eterno é o teu nome. 17Como nos deixaste andar longe de teus caminhos e endureceste nossos corações para não termos o teu temor? Por amor de teus servos, das tribos de tua herança, volta atrás. 19Ah! se rompesses os céus e descesses! As montanhas se desmanchariam diante de ti. 64,2Desceste, pois, e as montanhas se derreteram diante de ti. 3Nunca se ouviu dizer nem chegou aos ouvidos de ninguém, jamais olhos viram que um Deus, exceto tu, tenha feito tanto pelos que nele esperam. 4Vens ao encontro de quem pratica a justiça com alegria, de quem se lembra de ti em teus caminhos. Tu te irritaste, porque nós pecamos; é nos caminhos de outrora que seremos salvos. 5Todos nós nos tornamos imundície, e todas as nossas boas obras são como um pano sujo; murchamos todos como folhas, e nossas maldades empurram-nos como o vento. 6Não há quem invoque teu nome, quem se levante para encontrar-se contigo; escondeste de nós tua face e nos entregaste à mercê da nossa maldade. 7Assim mesmo, Senhor, tu és nosso pai, nós somos barro; tu, nosso oleiro, e nós todos, obra de tuas mãos. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 79(80)

Iluminai a vossa face sobre nós, / convertei-nos, para que sejamos salvos!

  1. Ó pastor de Israel, prestai ouvidos. † Vós que sobre os querubins vos assentais, / aparecei cheio de glória e esplendor! / Despertai vosso poder, ó nosso Deus, / e vinde logo nos trazer a salvação! – R.
  2. Voltai-vos para nós, Deus do universo! † Olhai dos altos céus e observai. / Visitai a vossa vinha e protegei-a! / Foi a vossa mão direita que a plantou; / protegei-a, e ao rebento que firmastes! – R.
  3. Pousai a mão por sobre o vosso protegido, / o filho do homem que escolhestes para vós! / E nunca mais vos deixaremos, Senhor Deus! / Dai-nos vida, e louvaremos vosso nome! – R.

Segunda Leitura: 1 Coríntios 1,3-9

Leitura da primeira carta de são Paulo aos Coríntios – Irmãos, 3para vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo. 4Dou graças a Deus sempre a vosso respeito, por causa da graça que Deus vos concedeu em Cristo Jesus: 5nele fostes enriquecidos em tudo, em toda palavra e em todo conhecimento, 6à medida que o testemunho sobre Cristo se confirmou entre vós. 7Assim, não tendes falta de nenhum dom, vós que aguardais a revelação do Senhor nosso, Jesus Cristo. 8É ele também que vos dará perseverança em vosso procedimento irrepreensível até o fim, até o dia de nosso Senhor, Jesus Cristo. 9Deus é fiel; por ele fostes chamados à comunhão com seu Filho, Jesus Cristo, Senhor nosso. – Palavra do Senhor.

Evangelho: Marcos 13,33-37

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 33“Cuidado! Ficai atentos, porque não sabeis quando chegará o momento. 34É como um homem que, ao partir para o estrangeiro, deixou sua casa sob a responsabilidade de seus empregados, distribuindo a cada um sua tarefa. E mandou o porteiro ficar vigiando. 35Vigiai, portanto, porque não sabeis quando o dono da casa vem: à tarde, à meia-noite, de madrugada ou ao amanhecer. 36Para que não suceda que, vindo de repente, ele vos encontre dormindo. 37O que vos digo, digo a todos: vigiai!” – Palavra da salvação.

Reflexão:

Jesus alerta seus discípulos a não caírem no sono, mas a permanecerem acordados e ativos, porque “não sabem quando será o momento” da prestação de contas. Servos, patrão e casa indicam a comunidade cristã. O homem que partiu para o estrangeiro é uma alusão a Jesus e à sua morte. O porteiro é o responsável pela comunidade. O cristão que vive à espera do seu Senhor ou na presença do Senhor, que age nos acontecimentos, é convidado a assumir suas responsabilidades. Em outras passagens do Novo Testamento, a vigilância vem explicitada como oração, fé, caridade incansável e resistência ao mal. São Paulo fala da vigilância em termos de sobriedade, fé, amor e esperança: “Nós, que somos do dia, fiquemos sóbrios, revestindo a armadura da fé e do amor, e o capacete da esperança da salvação” (1Ts 5,8).

(Dia a dia com o Evangelho 2017 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp)

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.