Dicas litúrgicas para o 30º Domingo Comum

0

Dia 23/10/2016 – Ano C

A oração sincera vem assinada com a vida vivida em coerência com o Evangelho, de quem se coloca a serviço de Deus e é capaz de fazer da própria vida uma oferenda a Deus, combatendo o bom combate da fé com a arma a oração e com um coração simples e humilde.

Evangelho de Lucas 18, 9-14

Como no Domingo anterior (29º Domingo do Tempo Comum – Ano C), também neste, a oração é celebrada como parte integrante do Mistério Pascal de Cristo. Nas meditações do sábio do Eclesiástico, Deus é apresentado como “um juiz que não faz discriminação de pessoas” (1ª leitura).

É justo, porque não se deixa corromper pelos dons que os ricos podem colocar diante de seus olhos, mas é misericordioso e se comove em compaixão para com os pobres que apresentam seus pedidos em oração. Não a simples oração verbal, mas aquela que vem assinada com o estilo de vida, como diz sábio: “quem serve a Deus como ele o quer, será bem acolhido e suas súplicas subirão até as nuvens” (1ª leitura).

Não, portanto, uma oração vazia, feita de palavras e sentimentos apenas, mas uma oração com a assinatura da própria vida vivida de acordo com a vontade divina. É a prece dos justos que Deus ouve, daqueles que se colocam a serviço de Deus (salmo responsorial). A prece, a exemplo de Paulo, que transforma a própria vida em oferta a Deus, combatendo o bom combate da fé (2ª leitura).

Quase sempre, o fariseu da parábola é apresentado como soberbo e orgulhoso diante de Deus (Evangelho). Mas, todas as atitudes do fariseu podem ser justificadas com a própria Bíblia. Por exemplo, o fato dele se colocar de pé diante de Deus não indica soberba; também o publicano rezava de pé diante de Deus.

Rezar de pé era e é uma atitude respeitosa na espiritualidade judaica, da qual também nós usamos, rezando de pé em tantos momentos da Missa. O fariseu, igualmente, não rezava em voz alta, mas no seu íntimo, quer dizer, no silêncio do seu coração. Também o conteúdo da oração, de apresentar-se diante de Deus como justo, é encontrado em muitas partes da Bíblia, como no conhecido Sl 26: “não estou na companhia de homens falsos, nem ando com gente mentirosa, não fico no meio dos ímpios…” (Sl 26,4). O que há de errado, então?

A contraproposta de como rezar está descrita em três atitudes do publicano: a sua distância, olhos baixos, bater no peito. São três atitudes que revelam a condição de se sentir indigno diante de Deus, reconhecendo que vive no pecado, mas confiante na bondade misericordiosa de Deus.

O publicano é um orante desarmado; mostra-se quem é e confia na misericórdia divina. É um orante que conhece apenas um atributo divino: amor misericordioso e, por isso pode confiar. Confiar na misericórdia divina que ouve a oração dos pobres e pecadores.

Em nosso tempo, pregações e homilias insistem demais na tecla do justificar-se diante de Deus e dos outros. E isto passa para o modo de rezar, inclusive em muitos cristãos piedosos. Assumem assim a postura do fariseu, com orações “autojustificantes” não tanto diante do tribunal divino, mas do tribunal da sociedade e da própria comunidade onde vive.

O ensinamento de Jesus, Mestre da oração, indica a atitude de apenas se mostrar diante de Deus, reconhecendo que ele justifica sem a necessidade de justificar-se diante dele, pois ele é Pai e conhece nossas necessidades. Um aprendizado difícil para nossos tempos, marcados pela justificação em quase todos os momentos de nossas vidas. A oração feita de modo gratuito diante de Deus é uma graça que humildemente precisamos interceder a Deus.

Algumas dicas para nossa liturgia. Cor litúrgica: verde 

Estamos Vivendo momentos importantes: Ano vocacional Diocesano e Ano Nacional Mariano. Podemos acrescentar no espaço simbólico Imagem de Nossa Senhora missionaria do Pai e mãe das vocações. As equipes podem usar criatividade sem exagero.

Nas preces além de rezar pelos missionários rezamos por todos os jovens principalmente os engajados em nossas comunidades.

Os cantos para celebração tenho um caráter missionário, Vocacional.

Continuar incentivando a campanha para seminário através do Carne vocacional.

Sugestões de cantos:

Entrada: 87 ou 88

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.