Dicas litúrgicas para o 29º domingo do Tempo Comum

0

Dia 16/10/2016 – Ano C

 

Mais importante que a batalha contra os amalecitas é a oração de Moisés, promotora da vitória do povo. O orante é um protegido de Deus em todos os momentos de sua vida, pois ele “luta” insistentemente com Deus até alcançar o que precisa.

Evangelho de Lucas 18, 1-8

A narrativa do Êxodo conta a batalha de Israel contra os amalecitas, uma tribo antiga que habitava a região sul da Cananéia (1ª leitura). O texto fala da batalha, mas percebe-se facilmente que o texto não tem nenhum interesse em descrever a luta, uma vez que o autor concentra-se no comportamento de Moisés sobre o monte.

Um local de oração, onde Moisés reza tendo consigo o cajado, o “bastão de Deus”, o mesmo com o qual Deus realizara os prodígios, quando o povo saía do Egito. Assim, Deus age motivado pela oração de Moisés e faz Israel vencer. Quando, porém, Moisés baixa as mãos e deixa de rezar, a sombra da derrota atinge o povo. Ou seja, a força de Israel não está nos guerreiros que participam da batalha contra os amalecitas, mas na atividade orante de Moisés.

Não basta somente a luta como não basta somente a oração. As duas coisas devem ser simultâneas: o lutar e o rezar. Quanto a luta do dia a dia acontece com a ajuda da oração, Deus favorece nossa vitória.

Na luta cotidiana de nossas vidas, mesmo neste tempo, caracterizado pela indiferença para com Deus ou, até mesmo, tentando substituí-lo pela tecnologia que realiza maravilhas, não pode prescindir da oração, porque nosso socorro vem do Senhor, o Deus altíssimo (salmo responsorial).

O orante que se coloca diante de Deus, canta o salmista, é um protegido, que não tropeçará nas pedras e não será ferido nem de dia e nem de noite. O orante, aquele que se dedica insistentemente à oração diante de Deus, encontra nele a proteção de todo mal e de toda a maldade.

Não deixa de labutar na vida, mas reconhece, como o salmista, que sua labuta é muito mais proveitosa se envolvida pela oração. É o que aprendemos desde a infância, quando começamos a conhecer a Sagrada Escritura (2ª leitura).

Uma terceira característica da oração encontra-se na parábola de Jesus (Evangelho). Jesus coloca dois personagens um diante do outro, com expressões típicas do opressor e do oprimido. Isto está representado no juiz iníquo que oprime e na viúva pobre, que é oprimida.

A mensagem central da parábola é que o juiz, independente da sua iniquidade, cede aos apelos da viúva, que era pobre e debilitada socialmente. Disto o argumento de Jesus para ressaltar a força da oração na vida de seus discípulos e discípulas: “Deus não fará justiça aos seus escolhidos?” (Evangelho). De tanto insistir, a viúva fez valer a responsabilidade do juiz para com a justiça a seu favor.

O mesmo acontece com Deus que, de tanto ouvir a insistência de nossas preces, torna-se responsável para vir em nosso socorro naquilo que não podemos fazer sozinhos, por sermos impotentes. Assim, a oração nos conduz para diante de Deus com sinceridade e na verdade, com a mesma disposição e audácia de um filho ou filha que sabe poder contar com a ajuda do pai e da mãe sempre que interceder sinceramente a seu favor, diante de suas necessidades. Quem não reza, corre o risco de viver na arrogância, na mesquinha prepotência de considerar que se basta a si mesmo.

Algumas dicas para nossa liturgia

A Cor litúrgica é verde 

Neste domingo Apresentar os símbolos da Missão: Bíblia, Cruz, livro de bênçãos e a água.

O comentário inicial deve conduzir a assembleia celebrante para o grande mistério que será celebrado. Deve conter também aspectos missionários do mês que estamos vivendo

Sugerimos que seja rezado o credo niceno-constantinopolitano pagina 11 do livro

As preces podem ser substituídas pela oração missionária do panfleto da missão ou se encerrar com ela

Lembramos que a coleta deste final de semana é destinada as obras missionarias da Igreja no Brasil e no mundo

Os cantos para celebração tenho um caráter missionário, vamos sugerir alguns.

Sugestões de cantos:

Entrada: 87 ou 88

Ato penitencial:  96

Gloria:126 ou 128

Salmo: é o mesmo do lecionário

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.