Dicas litúrgicas para a Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

0

 

Neste dia, a liturgia coloca-nos diante de evocações diversas, todas importantes.

Celebra-se, em primeiro lugar, a Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus: somos convidados a contemplar a figura de Maria, aquela mulher que, com o seu “sim” ao projeto de Deus, nos ofereceu Jesus, o nosso libertador.

Celebra-se, em segundo lugar, o Dia Mundial da Paz: em 1968, o Papa Paulo VI propôs aos homens de boa vontade que, neste dia, se rezasse pela paz no mundo.

Celebra-se, finalmente, o primeiro dia do ano civil: é o início de uma caminhada percorrida de mãos dadas com esse Deus que nos ama, que em cada dia nos cumula da sua bênção e nos oferece a vida em plenitude.

EvangelhoLucas 2, 16-21,

As leituras que hoje nos são propostas exploram a multiplicidade de temas e de celebrações que temos para este dia.

Na primeira leitura, sublinha-se a dimensão da presença contínua de Deus na nossa caminhada e recorda-se que a sua bênção nos proporciona a vida em plenitude.

Na segunda leitura, a liturgia evoca, outra vez, o amor de Deus, que enviou o seu Filho ao encontro dos homens para os libertar da escravidão da Lei e para os tornar seus “filhos”. É nessa situação privilegiada de “filhos” livres e amados que podemos dirigir-nos a Deus e chamar-lhe “abbá”.

O Evangelho mostra como a chegada do projeto libertador de Deus, que se tornou realidade plena no nosso mundo através de Jesus, provoca alegria e felicidade naqueles que não têm outra possibilidade de acesso à salvação: os pobres e os marginalizados.

Convida-nos também a louvar a Deus pelo seu amor e a testemunhar o desígnio libertador de Deus no meio dos homens.

Maria, a mulher que proporcionou o nosso encontro com Jesus, é o modelo de cristão que é sensível aos projetos de Deus, que sabe ler os seus sinais na história, que aceita acolher a proposta de Deus no coração e que colabora com Ele na concretização do projeto divino de salvação para o mundo.

Maria “conservava todas estas palavras e meditava-as no seu coração”. Ela era capaz de perceber os sinais do Deus libertador no acontecer da vida.

Peçamos ao Senhor que, como ela, tenhamos a sensibilidade de estar atentos à vida e de perceber a atuante e transformadora presença de Deus em todos os acontecimentos do nosso dia a dia.

Algumas dicas para nossa liturgia. Cor litúrgica: branca

Neste dia da solenidade da Santa Maria Mãe de Deus, sugerimos que se dê destaque a imagem de Nossa Senhora, que pode ser conduzida na procissão de entrada.

É importante ter um devido cuidado com o reportório mariano-litúrgico.  Evidente que estando no contexto natalino, alguns elementos do tempo haverão de permanecer.

A procissão de entrada é feita como de costume. Na seguinte ordem: Cruz ladeada por duas velas, logo atrás a Imagem de Maria , leitores,  Evangeliário (onde tem) ministros e presidente da celebração.

A liturgia da palavra seja bem preparada. No momento da proclamação do Evangelho duas crianças podem segurar as velas ladeando a Mesa da palavra (não devem ser as mesmas velas do altar)

As preces podem ser feitas em forma de ladainha cantada.

No momento da apresentação das ofertas valorizar a mães para levarem até o altar os dons do pão e vinho.

Sendo uma missa solene as resposta da oração eucarística sejam cantadas, assim com amém da doxologia e o cordeiro.

Benção solene para este dia está na pág. 527

Sugestões de cantos para esta missa:

Entrada: 13 ou17

Ato penitencial: 101 ou 95

Gloria:  131, 130 ou 133

Salmo: o mesmo do lecionário

Aclamação: 286 ou 88

Ofertas:  354

Santo: 429 ou442

Comunhão: 489 ou555

Envio:  579 ou  583

Concedei, ó Deus ao povo cristão conhecer a fé que professa e amar a liturgia que celebra. Por Cristo nosso Senhor. Abençoe-nos o Deus todo poderoso, Pai Filho e Espírito Santo. Amém!

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.