Carta de Dom Reginaldo: ORIENTAÇÕES E SUGESTÕES PARA O TEMPO DO ADVENTO E NATAL

0

Dom José Reginaldo Andrietta
Bispo Diocesano de Jales

 Aos presbíteros, seminaristas e responsáveis por liturgia de todas as comunidades da Diocese de Jales.

Jales, 16 de novembro de 2017.

Estimados irmãos, estimadas irmãs,

A exemplo do ano passado, apresento-lhes por meio desta carta algumas ORIENTAÇÕES E SUGESTÕES PARA O TEMPO DO ADVENTO E NATAL, elaboradas a partir de uma comunicação de Dom Sérgio Aparecido Colombo, Bispo Referencial para a Liturgia, do Regional Sul I da CNBB, com considerações sobre o Ano Nacional do Laicato.

  1. COR LITÚRGICA: Violácea, distinto do roxo penitencial da quaresma. Terceiro domingo (“Gaudete”): pode ser cor rósea.
  2. COROA DO ADVENTO: Com ramos verdes e quatro velas, acesas progressivamente, a cada domingo: roxa no 1º domingo, verde no 2º domingo, rósea no 3º domingo e branca no 4º domingo. As quatros velas podem ser, também, exclusivamente roxas. A coroa não substitui as velas do altar; não é colocada em cima do altar, nem ao lado, senão, próxima ao ambão ou em outro lugar conveniente. Segue o costume judaico de celebrar a vinda da luz à humanidade, dispersa pelos quatro pontos cardeais. As velas podem fazer parte da procissão de entrada e ser acesas nos ritos iniciais com um refrão apropriado para cada domingo, ou breve oração: “Bendito sejas, Deus da vida, pela Luz de Cristo, estrela da manhã a quem esperamos com toda a ternura do coração” ou “Bendito sejas, Deus das promessas, porque iluminas nossa vida com a chegada da Luz, Jesus Cristo, teu Filho, a quem esperamos com ternura e alegria”. No quarto domingo, a vela pode ser conduzida por uma mulher grávida e crianças. A coroa do advento nos lembra ainda a vigilância permanente e a abertura ao Senhor que vem ao nosso encontro. Ela marca o ritmo de espera deste tempo. “É preciso estarmos sempre acordados e com lâmpadas acesas”! Os cantos 10 e 11 de nosso livro de cantos são próprios para acender as velas.
  3. Valorizar de modo especial a acolhida das pessoas, sendo mais afetuosos para manifestar a presença de Deus entre nós. Eucaristia é presença e também espera do Senhor: “Até que ele venha”. O Advento é um tempo propício para aprofundar e melhorar a qualidade nossos relacionamentos em todas circunstâncias da vida. O Senhor que vem, já está no meio de nós.
  4. Tempo para ESCUTAR DE MODO NOVO A PALAVRA DE DEUS. Ele fala pela Sagrada Escritura, pela Eucaristia, pelas pessoas, pelos pobres e pelos acontecimentos. Dar destaque ao LECIONÁRIO e ao EVANGELIÁRIO, livros oficiais na Liturgia da Palavra. A Palavra de Deus seja proclamada a partir destes livros, não de folhetos. PREPARAR BEM OS LEITORES E SALMISTAS. Mais que leitura, a Palavra de Deus deve ser PROCLAMADA com alegria, convicção, entonação e sem pressa, para ser bem ENTENDIDA E INTERIORIZADA pelos que compõem a assembleia litúrgica.
  5. Dar um breve TEMPO DE SILÊNCIO após cada leitura e a homilia, exceto quando a missa for transmitida pela rádio, possibilitando um diálogo amoroso, orante e comprometido entre Deus e a assembleia.
  6. A resposta às Preces pode ser cantada: “Vem, Senhor Jesus, Vem!” ou “Vem, Senhor! Vem, Senhor! Vem libertar o teu povo!” (Página 12 do nosso livro de cantos).
  7. Os CANTOS DEVEM SER DO ADVENTO, para expressarem o Mistério de Cristo, próprio deste tempo.
  8. Omite-se o Glória (reservado para a noite e o tempo do Natal).
  9. Utilizar a Benção final própria do Advento e do Natal.
  10. PRESÉPIO: pode ser integrado à liturgia, montando-o progressivamente, com a participação de famílias, especialmente as crianças, ajudando a comunidade a visualizar os sinais da aproximação e da chegada do Senhor. Reservar a imagem do Menino Jesus para a Noite de Natal.
  11. Evitar descaracterizar o sentido do Advento, antecipando o Natal com árvore de natal, pisca-piscas, festões, fitas, luzes e bolas coloridas, “próprias do Natal”. Cuidado para não introduzir na Igreja (templo), sinais que evocam consumismo. O uso de flores deve ser moderado. Pode-se usar um tronco ao lado da Mesa da Palavra, com um broto (de uma planta), recordando o profeta Isaias: “Do tronco de Jessé sairá um ramo, um broto nascerá de suas raízes” (Is 11,1).
  12. Como, neste ano, o dia 24 de dezembro, é domingo, a liturgia do sábado à noite e do domingo de manhã, deverá ser do 4º domingo do Advento. Nesse domingo, à noite, se celebra a liturgia da Noite de Natal.
  13. A Noite e todo o Tempo do Natal devem expressar maior brilho. Destacar o ícone da Sagrada Família, na forma de imagem ou de estandarte, especialmente no tempo de Natal, relacionando-o com o Ano Nacional do Laicato.
  14. Incentivar a Novena do Natal em Família, inspirada em nossa Diocese, no Ano Nacional do Laicato, como uma das formas privilegiadas para a preparação do Natal.
  15. Oferecer oportunidades e horários especiais para o sacramento da reconciliação. Utilizar o material da Campanha da Evangelização da CNBB, cujo tema está relacionado ao Ano Nacional do Laicato: “Cristãos leigos e leigas comprometidos com a evangelização”. Conscientizar a comunidade sobre a importância da Coleta nos dias 16 e 17 de dezembro de 2017, explicando adequadamente sua finalidade. Lembrar os fiéis deste compromisso no final de semana anterior.
  16. Os subsídios litúrgicos do Setor de Liturgia da CNBB, a revista Vida Pastoral da Paulus e as Dicas Litúrgicas da Diocese, poderão enriquecer estas orientações e sugestões.

Estejamos atentos a integrar no tempo do Advento nossas orações e nossos compromissos relacionados, especialmente, ao Ano Nacional do Laicato. Vindo ao nosso encontro, Cristo nos chama. Saibamos acolhê-lo com a mesma confiança e alegria de José e Maria.

Feliz tempo do Advento e abençoada festa do Nascimento de Jesus.

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.