Cardeal de Brasília comenta sua nomeação como relator do Sínodo dos Jovens

0

“Os jovens, a fé e o discernimento vocacional” será o tema que inspirará a 15ª Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, entre os dias 3 e 28 de outubro. O evento pretende expressar a preocupação pastoral da Igreja com os jovens e as famílias.

Para este encontro, o Papa Francisco anunciou no último domingo, 19 de novembro, a nomeação do Arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, Cardeal Sergio da Rocha, como relator do Sínodo dos Jovens.

Entrevistado pelo site da Arquidiocese de Brasília, Dom Sergio afirmou que sua função será a de preparar um longo relatório para ser apresentado no início da Assembleia Sinodal, recolhendo as contribuições enviadas na fase preparatória, que está acontecendo em toda a Igreja. “No final do Sínodo, o relator geral apresenta o relatório final para ser aprovado pelos participantes da Assembleia Sinodal. O relator conta com a colaboração do ‘secretário especial'”, explicou.

“O Papa Francisco nomeou dois secretários especiais, um padre salesiano e outro é jesuíta. Por isso, contarei com a ajuda valiosa dos dois secretários especiais, além dos responsáveis pela Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos”, disse o purpurado.

Durante as três semanas do Sínodo, em outubro do próximo ano, o relator geral deverá acompanhar o andamento dos trabalhos, mais especificamente os textos que estão sendo elaborados, recolhendo as contribuições dos participantes na Assembleia Sinodal. “É o Papa quem preside o Sínodo e dá a aprovação ao texto final. A função de relator é muito exigente, pois exige escutar a todos e acolher o máximo possível as suas contribuições”, ressaltou Dom Sérgio.

O presidente da CNBB espera que o Sínodo “ajude a valorizar ainda mais a presença da juventude na Igreja, a promover o discernimento vocacional, hoje ainda mais necessário para se fazer a opção de vida, e a incentivar os jovens a evangelizarem os próprios jovens”.

“O Sínodo é sempre dos Bispos, conforme o próprio nome, mas a Igreja quer envolver, ao máximo, os jovens. Para isso, o Papa Francisco, com a Secretaria Geral do Sínodo dos Bispos, tem favorecido a escuta da juventude, nesta fase preparatória, através de diversas iniciativas, dentre elas, o questionário que tem sido respondido por jovens do mundo inteiro e a Reunião Pré-Sinodal, que vai acontecer, em Roma, no mês de março de 2018. A participação da Igreja inteira, por meio da oração, é muito necessária já nesta fase de preparação para a Assembleia Sinodal”, concluiu.

O Santo Padre, a partir da escolha da juventude como tema central, tem a intenção de acompanhar a juventude, a fim de que, em um processo de discernimento bem orientado, os jovens possam descobrir o seu projeto de vida e realizá-lo com alegria, abrindo-se ao encontro com Deus e com os homens, e assim, participando ativamente na edificação da Igreja e da sociedade. (LMI)

Fonte: Gaudium Press

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.